menu-to-close

LUPPA ajuda a construir Plano de Segurança Alimentar e Nutricional de Rio Branco

Escrito por LUPPA

06 de setembro de 2022
LUPPA ajuda a construir Plano de Segurança Alimentar e Nutricional de Rio Branco
Na última quinta-feira (1/9), mais um passo foi dado para consolidar a assessoria que o Laboratório Urbano de Políticas Públicas Alimentares (LUPPA) presta para Rio Branco. A prefeitura da cidade segue se preparando para a criação do Plano Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional. 

No encontro, a Câmara Intersecretarial de Segurança Alimentar e Nutricional (CAISAN) compartilhou os resultados da reunião de terça-feira (30/8), com o Conselho Municipal  de Segurança Alimentar e Nutricional (CONSEA) e discutiu os desafios e possíveis caminhos de solução.

Uma história em construção

No final de agosto, a Caisan da cidade e seu comitê técnico foram reativados para dar conta das demandas alimentares da região. Do mesmo modo, o Consea teve sua atuação reconfigurada. 

Desde então, foram realizadas várias oficinas técnicas que visam abordar o impacto e a importância da criação do plano no município.

No dia 25/8, o Comitê Técnico da Caisan se reuniu para estudar a política de SAN e definir quais secretarias seriam responsáveis pelos eixos da política para que se preparassem para apresentar suas potencialidades e problemáticas.

Confira os eixos de trabalho:

1.Produção e escoamento de alimentos
2. Abastecimento e distribuição de alimentos 
3. Transferência de renda à população vulnerável                                           
4. Distribuição gratuita de alimentos
5. Abastecimento de água potável
6. Saúde, alimentação e nutrição
7. Conservação, manejo e sustentabilidade ambiental
8. Fortalecimento da economia solidária no âmbito da produção e distribuição de alimentos
9. Educação para segurança alimentar e nutricional e o direito humano à alimentação adequada
10. Fomento à pesquisa e estudos na área de segurança Alimentar e nutricional;

Já na terça-feira, 30/8, as secretarias da CAISAN apresentaram entre si o que estão realizando e o que planejam em relação aos eixos da Política de SAN, que foram designados na reunião anterior, apontando gargalos, indicadores, demandas e desafios e buscando soluções em conjunto.

Agora, essas equipes se preparam para apresentar esses mesmos dados à sociedade civil. Recém estabelecidos, vão discutir a visão do município com as partes interessadas e esses dois grupos vão seguir conversando para, lá na frente, marcar uma conferência. 

Esse amadurecimento é o que vai permitir a apresentação das principais questões a serem  colocadas no plano, que a partir de agora será construído pela própria cidade.  

Diretora do Instituto Comida do Amanhã, coordenadora do LUPPA e uma das responsáveis pela assessoria, Francine Xavier reforça a importância do projeto como possibilidade de fazer a cidade seguir os próprios passos sozinha, agora que a assessoria chegou ao fim. 

“Além disso, visitamos o restaurante popular reinaugurado no dia 19 de julho e operado com recursos da prefeitura, que atende a 500 cadastrados no Cad Único por dia, e se prepara para expandir para 1000 refeições e planeja mais 2 restaurantes”, contou.